Art Style: “Xenoblade Chronicles”

Um dos mais aguardados jogos para o Nintendo Wii em 2012, “Xenoblade Chronicles” foi produzido pela Monolith Soft e tem uma estética visual primorosa, que encanta fãs de RPG mesmo antes do jogo sequer chegar ao mercado norte-americano. Este artigo é uma coleção de artes conceituais do jogo, mostrando a origem da incrível criatividade visual reproduzido através de cenários fantásticos.

(clique para ampliar)

Os personagens de “Xenoblade Chronicles” seguem todos o padrão clichê da maioria dos RPGs orientais: personagens de traços finos com roupas estranhas. O jogo se passa em um universo fantástico onde a estética medieval vive em harmonia com um cenário levemente futurista, de ares robóticos. Não chega a ser de fato steampunk, apesar de ter alguns elementos em comum (o contraste do moderno com o antigo e as máquinas com traços vitorianos).

Alguns personagens do jogo (clique para ampliar).

Conceitos de vestuário para o protagonista Shulk (clique para ampliar).

Variações de armadura para Shulk (clique para ampliar).

Outro clichê de jogos japoneses: o personagem fofo. Assim como “Final Fantasy” tem seus Moogles, “Xenoblade Chronicles” tem os Nopons. Um deles, o heropon Riki, se junta na aventura ao grupo de heróis.

Conceitos visuais para Riki (clique para ampliar).

Riki e os Nopon em frente a Frontier Village (clique para ampliar).

O principal destaque do universo de “Xenoblade Chronicles” é o fato de um mundo que se passa no corpo de um gigante adormecido. Bionis, o ser biológico, lutava com Mechonis, o ser mecânico, antes de um golpe fatal ter paralisado os dois. Essa história é mostrada em uma cena introdutória ao jogo.

A batalha entre Mechonis e Bionis (clique para ampliar).

Bionis e Mechonis paralisados permitiram que Homs e Mechons criassem vida em seus corpos (clique para ampliar).

A aventura se passa, primariamente, no corpo de Bionis. Partes de seu corpo gigantesco se tornam incríveis cenários. A primeira imagem no início do artigo mostra a Colony 9, ambiente onde começa a aventura e que se localiza no calcanhar de Bionis.

Bionis Leg, a perna de Bionis, o primeiro cenário gigante da aventura (clique para ampliar).

Satori Marsh é um colorido pântano. (clique para ampliar)

Makna Forest, com Melia e Riki em destaque (clique para ampliar).

Sword Valley (clique para ampliar).

Não bastam belas artes conceituais para criar um belo jogo. “Xenoblade Chronicles” se supera ao transformar a criativa idéia em cenários reais, que não são apenas paisagens. O expansivo universo pode ser explorado em cada quina, atrás de segredos. Veja abaixo uma arte conceitual de Eryth Sea seguida por uma foto real do jogo rodando no Wii: a reprodução do conceito é impecável!

Arte conceitual (clique para ampliar).

Imagem in game (clique para ampliar).

Veja abaixo o slideshow completo com outras artworks que selecionei de “Xenoblade Chronicles”. Para mais detalhes sobre o jogo, leia meu review.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios
Esse post foi publicado em Art Style e marcado , , . Guardar link permanente.

Comente aqui...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s