Review: “A Mulher de Preto” de James Watkins

Filmes de terror gótico são uma raridade hoje em dia. Antigamente, lá no início do cinema, praticamente essa era a regra do gênero: histórica macabra, com iluminação sombria, explorando elementos sobrenaturais de forma calma e paciente. “A Mulher de Preto” cai nesse estilo que, já tem um tempo, não apresenta um representante digno. Ainda mais nessa fase “terror de webcam” de hoje em dia, uma obra nessa forma mais vintage – digamos assim – cai muito bem.

Arthur Kipps é um jovem advogado que perdeu sua mulher em um acidente e foi enviado para um daqueles vilarejos isolados e macabros que só tem na Europa mesmo – e sabe-se lá por que as pessoas moram nesses lugares! Ele tem que investigar uma casa ainda mais isolada nesse vilarejo isolado (sério, a casa fica numa ilha no meio de um pântano!!) e percebe que lá mora uma mulher vestida de preto que, pelo jeito, não está muito viva não. E, claro, coisas ruins começam a acontecer.

Quem assistiu “A Mulher de Preto” e ficar decepcionado com o final (não tem spoiler, calma!) é por que não entendeu a história. É praticamente uma versão gótica de “O Grito”, não estamos falando de filme com reviravolta no final à lá Scooby-Doo onde o fantasma na verdade é uma louca fantasiada! É uma boa e velha história de assombração mesmo, daqueles fantasmas que assustam, guardam rancor e querem ver os outros sofrer.

Vilarejo legal para se morar, diga-se de passagem! Vizinhança agradável, né?

O filme tem um ritmo muito bem montado. Na metade da história somos apresentados a uma longa cena daquelas clássicas de “pessoa sozinha com um fantasma em uma mansão de noite”. Toda a sequência é muito bem arrumada, com bons sustos, bom clima de suspense e excelente edição. Assusta, o que é o mais importante em um filme de terror, portanto por esse motivo apenas serve para recomendar “A Mulher de Preto”. A boa história e produção impecável ajudam a elevar a obra ainda mais.

O filme é dirigido por James Watkins, que nunca dirigiu nada de substancial, mas faz um bom trabalho aqui. Este “A Mulher de Preto” não é remake de um filme de mesmo nome lançado em 1989, mas ambos se inspiraram no mesmo livro escrito por Susan Hill. No elenco temos Daniel Radcliffe (que ainda tem cara de Harry Potter, mas trabalha muito bem), Ciarán Hinds e Janet McTeer.

Anúncios
Esse post foi publicado em Filmes, Reviews e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Comente aqui...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s