As músicas e as aberturas dos filmes James Bond

Poucas séries tem sua filmografia tão associada ao universo da música. Star Wars não seria nada sem a “Imperial March” ou o tema de abertura que John Williams compôs e o mesmo pode ser dito de “O Poderoso Chefão” e a valsa composta por Nino Rota. Mas James Bond ganha um mérito especial por conta de suas famosas animações de abertura que contam com uma música inédita de um grande astro pop de sua época. E, falando em uma franquia com 50 anos de história no cinema, também estamos falando de 50 anos de história da música!

O primeiro filme, “007 contra o Satânico Dr. No”, tem a abertura mais simples de todas, mostrando uma simples animação psicodélica ao som do clássico tema do agente secreto. Já no segundo filme, “Moscou contra 007” manteve um tema orquestrado inédito e ousou em uma abertura muito mais criativa, com dançarinas tendo os créditos da produção reproduzidos em seus corpos.

“Moscou contra 007” foi o primeiro filme da série a ter uma música cantada como tema, “From Russia With Love” de Matt Monro, que só pode ser ouvida nos créditos finais. Já a sequência, “007 contra Goldfinger” colocou a inédita “Goldfinger” na voz poderosa de Shirley Bassey em uma abertura que seguia o esquema de seu antecessor, mas com uma toque mais dourado – e muito mais interessante!

Sem dúvida uma das aberturas mais famosas da história do cinema! A trilha sonora de “007 contra Goldfinger” foi um grande sucesso (junto com o filme) e conseguiu até tirar um LP dos Beatles, o clássico “A Hard Day’s Night”, do topo da lista de vendas! Apesar dos créditos serem bem parecidos com os de “Moscou contra 007”, a música é muito mais marcante e Shirley Bassey canta como se já estivesse contando a história do filme, fofocando sobre o vilão.

Shirley Bassey iria cantar outros dois temas para a série, sem o mesmo sucesso: “Diamonds Are Forever” em 1971 (de “007 – Os Diamantes São Eternos”) e “Moonraker” em 1979 (de “007 contra o Foguete da Morte”).

O tema seguinte, para “007 contra a Chatagem Atômica”, apresentava uma música que evocava o ar escandaloso de “Goldfinger”, mas na voz masculina de Tom Jones:

A abertura marca a estréia das famosas silhuetas femininas, que vieram a se tornar tão comum nos filmes seguintes. O estilo que Maurice Binder criou nesta abertura se tornou o padrão a partir daí. Como pode ser visto na sequência, “Com 007 Só Se Vive Duas Vezes”:

Um destaque para a exótica e oriental “You Only Live Twice” na voz de Nancy Sinatra. Essa pode ser considerada a única música psicodélica do universo James Bond, fazendo referência importante à sua época – o filme é de 1967. Ao encerrar os anos 60, o próximo episódio da série voltou às origens com um tema orquestrado:

Que, sem dúvida, é um dos melhores também! John Barry no auge de suas criações jazzísticas embaladas com uma batida mais rock. “007 a Serviço Secreto de Sua Majestade” tinha uma música cantada, a romântica “We Have All the Time in the World” do fenomenal Louis Armstrong. Mas o tema da abertura, junto com a animação que faz referência a toda a antologia da série, é inesquecível!

Com a entrada de Roger Moore como agente 007, os produtores resolveram pedir a ajuda de ninguém menos que Paul McCartney para criar uma tema explosivo que veio a se tornar um grande clássico do rock’n roll:

Composta pelo ex-Beatle e sua então esposa Linda, a música “Live and Let Die” é uma perfeita mistura da guitarra elétrica de Barry com o doce piano de McCartney, que alterna entre o lento e o agitado, criando uma abertura musical empolgante. Completamente diferente do próximo tema clássico da série:

Após uma das cenas iniciais mais famosas de toda a franquia, “007 – O Espião Que me Amava” embala uma balada romântica na voz de Carly Simon, a inesquecível “Nobody Does it Better”. A abertura, além das silhuetas femininas, também tinha o próprio Roger Moore bancando o modelo. “Nobody Does it Better” veio a ser indicada ao Oscar de Melhor Música, mas perdeu para “You Light Up My Life“, uma balada também bastante famosa.

Outra balada de grande sucesso apareceu em “007 – Somente Para Seus Olhos”:

Também a primeira abertura da série a colocar a própria cantora nos créditos! Sheena Easton foi considerado bonita o suficiente para merecer aparecer embalando “For Your Eyes Only” nos cinemas de 1981. Seguindo com a década, que em seguida teve a esquecível balada “All Time High” (cantada por Rita Coolidge para “007 contra Octopussy”), foi em 1985 que a série James Bond teve a única música – até então – a conquistar o sagrado primeiro lugar na Billboard:

Graças ao sucesso de “A View to a Kill” da banda Duran Duran, outro grupo de rock de sucesso da época, o A-Ha, foi responsável pelo tema seguinte, “The Living Daylights“, que não obteve o mesmo sucesso. Já a dupla da banda U2, Bono Vox e The Edge, foram mais bem sucedidos nos anos 90:

Apesar de composta pelos dois, a música “GoldenEye” fica na voz de Tina Turner. A abertura também é muito marcante, fazendo uma bela animação mostrando o fim da Guerra Fria (algo tão pertinente ao universo Bond) e a destruição da União Soviética, com direito a martelos e foices caindo na tela. Os créditos desta animação caem para Daniel Kleinman, que soube continuar o legado de Maurice Binder com louvor e mantêm-se nesta função para a série até hoje.

Encerrando o século XX, ele fez outra bela abertura, cheia de efeitos que as novas tecnologias gráficas poderiam lhe proporcionar:

Créditos também para o compositor David Arnold, que colocou a banda alternativa Garbage para fazer um dos temas mais tradicionais e belos da série em “The World is not Enough”. Por falar em tradicional, foi exatamente o oposto disso que tivemos no primeiro filme do século XXI da série, em 2002:

Com “Die Another Day” a lendária Madonna conseguiu criar o pior tema de James Bond de todos os tempos! Mas méritos devem ser dados a ela por ter feito uma bela música eletrônica (de muito sucesso nas rádios) e que se encaixa com o que a artista vinha produzindo então. E “007 – Um Novo Dia Para Morrer” conseguiu fazer uma abertura criativa ainda assim, mostrando uma cena onde James Bond é torturado. É a primeira vez na série onde os créditos musicais na série servem para alguma coisa além de listar créditos ao som de uma música!

Assim como conseguiu também a abertura seguinte, a estréia de Daniel Craig em “007 – Cassino Royale”:

Foi uma forma criativa de mesclar a gun barrel com os créditos, dando um ar de “origem” para a icônica animação introdutória dos filmes James Bond. Apesar de excluir as famosas silhuetas femininas, a animação é bem criativa e volta a usar o ator da série nela, como na época de Roger Moore. O tema “You Know My Name”, composto e cantado por Chris Cornell, é um rock mais ao estilo do que McCartney fez com “Live and Let Die”, fugindo do padrão da série.

E já sabemos que Adele voltou às baladas românticas com a sua “Skyfall”, portanto agora é ver o que Daniel Kleinman criará para a abertura de “007 – Operação Skyfall”. Ficaremos sabendo em 26 de Outubro!

Anúncios
Esse post foi publicado em A Link to the Past, Bond 50 e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Comente aqui...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s