Review: “O Lado Bom da Vida” de David O. Russell

Difícil dizer quais são minhas expectativas perante uma comédia romântica. Ô gênero malfadado, onde para cada “500 Dias com Ela” devem ter tido uns cinco filmes idiotas da Sarah Jessica Parker ou da Katherine Heigl. Não sei se espero uma comédia medíocre ou um romance sincero, já que um acontece com mais frequência que o outro. “O Lado Bom da Vida” está mais para romance do que para comédia e tem lá seus momentos com pequenas dosagens de drama. Mas ainda é uma comédia romântica que se destaca por pouco.

O filme conta a história de Pat, que foi internado após um surto depois de ser traído pela mulher. Ao sair da clínica ela quer fazer de tudo para voltar ao casamento, aí faz amizade com a também surtada Tiffany, cujo marido morreu e por causa disso resolveu transar com todo mundo do seu trabalho. Inclusive as mulheres. Cada um vive o luto da forma que pode, não é mesmo? Como toda comédia romântica, você já sabe o que vai acontecer de olhar para o pôster ou vislumbrar a sinopse. Será que Pat vai descobrir nesta sua nova amizade o verdadeiro amor? “Oh céus, que dúvida!” Será que esse casal bipolar irá se entender em sua própria loucura? “Ah meu Deus, não faço ideia!” Até parece…

Mas o filme encontra um bom rumo para guiar-nos pela trajetória batidíssima: o casal se inscreve em um concurso de dança – ela por ser dançarina, ele por querer mostrar para a mulher que o chifrou que ele está melhor após tentar matar o amante dela. Duas pessoas em tratamento psicológico encontram um objetivo, então o que os acaba unindo não é apenas o amor, é mais a vontade de saírem da tristeza. Claro, no final os dois se beijam e a câmera gira ao redor do casal, mas até aí fazer o quê? Provavelmente é uma regra contratual para dirigir uma comédia romântica. Por um final clichê e previsível, ao menos a jornada até esse momento é interessante e madura.

O casal principal é vivido por Bradley Cooper e Jennifer Lawrence; ele muito bem, ela às vezes muito exagerada. Sua personagem é complicada e ela não consegue dominar o papel, mas essa garota é linda, então você irá ficar apaixonado de qualquer forma! Os pais de Pat são vividos por Robert De Niro e Jacki Weaver. Julia Stiles e Chris Tucker fazem participações especiais.

O filme é escrito e dirigido por David O. Russell, recentemente indicado ao Oscar pelo drama “O Vencedor”. Ele e capaz de guiar bem uma história simples com personagens atípicos, mas não há nada de destaque real em seu trabalho como diretor. Como roteirista, ele foi mais feliz. Por sero um novo projeto de um gênero extremamente repetitivo, “O Lado Bom da Vida” se destaca por simplesmente ser bom ao invés de patético como a maioria. Só não espere nada além! É daqueles filmes para assistir, se identificar e esquecer na semana seguinte.

Anúncios
Esse post foi publicado em Filmes, Reviews e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Comente aqui...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s