Review: “As Vantagens de Ser Invisível” de Stephen Chbosky

“As Vantagens de Ser Invisível” é um daqueles raros filmes sobre adolescência que se mostra bastante adulto, não limitando sua narrativa em dramas simplórios e batidos. Sim, adolescentes se importam com coisas que, quando crescemos, achamos fúteis. Mas é uma fase complicada e importante em nosso amadurecimento e muitas das coisas que sentimos durante esses anos seguem em frente. Por não desvalorizar esses sentimentos é que “As Vantagens de Ser Invisível” se torna um filme especial.

Charlie é um garoto extremamente tímido e com um histórico de problemas psiquiátricos que irá começar os mais assustadores anos de sua vida: o ensino médio! Excluído e sem amigos, ele encontra no excêntrico Patrick e sua meio-irmã Sam um novo grupo e uma nova possibilidade de relacionamentos. Como estranho fora do ninho (ele é a novidade na panelinha), Charlie vai se encaixando e se esforçando para se soltar, ao mesmo tempo em que os fantasmas de seus problemas passados o assombram.

A história é simples, focada apenas em um ano da vida dos personagens e com poucos eventos, fora um ou outro conflito de festinha. Mas nada melodramático, nada de gravidez indesejada ou vício em drogas ou qualquer outro clichê de novela adolescente. A estrutura do roteiro é simples e sóbria, focando mais nos pensamentos e divagações dos personagens do que no bom e velho gancho ou reviravolta.

A direção e o roteiro são de Stephen Chbosky, estreando como diretor adaptando um livro de sua própria autoria. Esse íntimo contato com a obra aparece na confiança com os personagens, nunca menosprezados como “meros adolescentes mimados” ou qualquer outro clichê de desdém.  Chbosky põe fé que o público irá entender o que acontece com eles e, sinceramente, irá mesmo! Jamais menospreze “As Vantagens de Ser Invisível” como draminha teen. É um filme adulto, para adolescentes, que tem força o suficiente para entrar em contato com as duas faixas de idade.

O protagonista Charlie é vivido por Logan Lerman, o Percy Jackson, rapaz bonito o suficiente para interpretar um galã de aventura, mas é interessante vê-lo tentando ser o excluído. Seus maneirismos de introversão são muito bem marcados e dão ao personagem naturalidade. E ele também se sai muito bem quando Charlie tem suas crises. Seus amigos são vividos por Ezra Miller, o assustador Kevin de “Precisamos Falar Sobre Kevin”, aqui bastante esquisito e flamboyant. E Emma Watson, a Hermione da saga Harry Potter, fazendo pose de teen indie que apaixona qualquer marmanjo como se fosse a Zooey Deschanel! Os dois estão muito bem, mas quem chama mais a atenção é Lerman mesmo.

E como assim esses três não reconheceram “Heroes” de David Bowie no rádio? Tsc tsc tsc… Até eu reconheci!

Anúncios
Esse post foi publicado em Filmes, Reviews e marcado , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Review: “As Vantagens de Ser Invisível” de Stephen Chbosky

  1. NãoSei disse:

    Eu cheguei a chorar…não sei porque, tive medo de minha vida não se tornar nem um pouco do que quero, assim como acontece com milhares de pessoas, que nunca realmente fizeram o que queriam…o filme fala de coisas que as vezes penso…mas é claro, nos filmes o final é sempre agradável…e isso me deixou…

    Curtir

    • A vida não tem garantia de final de feliz, que é um clichê da ficção. Mas se a história lhe trouxe identificação com pensamentos e sentimentos seu, já é o bastante para ajudar, não? Se existe um filme ou livro que fala dos seus mesmos medos e angústia é por que você não é a única pessoa a passar por isso. ;)

      Curtir

Comente aqui...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s