Review: “Blue Jasmine” de Woody Allen

O celebrado diretor Woody Allen tem uma filmografia com mais erros do que acerto. Muito famoso desde por “Noivo Neurótico, Noiva Nervosa” até “Meia-Noite em Paris”, eu fico com a sensação que ele fez mais filmes esquecíveis do que memoráveis nas décadas que os separam. Ainda assim, quando acerta, acerta em cheio! Seu novo lançamento, “Blue Jasmine”, dificilmente será lembrado daqui a alguns anos, mas uma ótima protagonista eleva um pouco o resultado final.

A história é quase um remake de “Uma Rua Chamada Pecado”, clássico incrível de Elia Kazan de 1951. Jasmine era uma rica nova-iorquina até seu ex-marido perder tudo ao descobrirem sua fonte de renda ilícita. Sem um tostão no bolso (mas com malas Louis Vuitton e casaco Chanel) ela se muda para o apartamento de sua irmã mais pobre em São Francisco, tendo que lidar com seu namorado bronco, a necessidade de arrumar um emprego e um probleminha psiquiátrico aí que põe ela para falar sozinha no meio da rua.

As pessoas adoram interpretar as histórias de Allen, buscando simbologia onde existe apenas humor ou ironia. “Blue Jasmine” não é uma comédia dos tempos de Occupy sobre uma 1% que vira 99%. É um drama de uma mulher com algum distúrbio grave tendo que lidar com uma grande mudança na vida. Não há análise social, não há classicismo ou sátira. Na verdade quase não há humor, pois o filme é bastante sério! Allen novamente escreve uma ótima personagem feminina (sua especialidade) e desenvolve sua personalidade em momentos de flashback. O filme não vai muito além e talvez decepcione alguns, mas a protagonista é forte o suficiente para render.

blue_jasmine

Blanchett, Blanche?

Méritos do roteiro de Allen, mas principalmente de Cate Blanchett, que encarna Jasmine com propriedade! Sua atuação é impactante, seja nas cenas de esnobismo, ilusão de grandeza ou em seus surtos. Seus principais momentos acontecem no clímax, onde ela tem que equilibrar o sofrimento reprimido com o tantrum raivoso. Há muito de sua atuação no que Vivien Leigh fez em sua Blanche DuBois décadas atrás. Mas o resultado encanta por que Blanchett soube trazer algo de novo também.

O resto do elenco conta com a ótima Sally Hawkins, Alec Baldwin e Bobby Cannavale. Mas o filme é resultado da parceria Allen e Blanchett.

Anúncios
Esse post foi publicado em Filmes, Reviews e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Comente aqui...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s