Review: “Byzantium” de Neil Jordan

Com o sucesso da franquia Crepúsculo parece que vampiros voltaram à moda no cinema. Mas, também por causa do sucesso da franquia Crepúsculo, parece que as interpretações desses antigos seres mitológicos ficaram presas ao universo adolescente. O que é um desperdício, já que vampiros sempre foram carregados na sexualidade e violência! Com uma classificação etária focada no público jovem, sexo e sangue saíram do cardápio do gênero. “Byzantium” é um retorno ao estilo antigo.

A história é inusitada para o gênero vampiresco, contando a relação entre a filha Eleanor e sua mãe Clara. O passado das duas, como elas viraram vampiras, vai se revelando aos poucos, mas é interessante essa proposta de mostrar um lado novo, fora do padrão. Contos de vampiros sempre focam em uma relação amorosa, e geralmente com um homem como protagonista, portanto essa narrativa sobre mãe e filha vampiras é curiosa. Mesmo que, em termos de roteiro, nada de muito surpreendente seja abordado.

O filme é dirigido por Neil Jordan, que dirigiu ao menos um classiquinho dos anos 90 com “Entrevista com o Vampiro”, essa sim uma história com vampiros de verdade! Quem cresceu com a rivalidade homoerótica de Louis e Lestat não é facilmente convencido pelo lenga-lenga virginal de Bella e Edward. Portanto “Byzantium” coloca o diretor em território conhecido. Apesar de incluir algumas modinhas das recentes interpretações de vampiros – aqui eles também são imunes ao sol, algo que até um personagem nota como errado – eis uma visão mais tradicional.

O diretor abusa da sexualidade de uma de suas protagonistas (mesmo que o filme, em si, não tenha tanto sexo de fato) e jorra sangue para todos os lados. Tem até uma cachoeira de sangue onde uma das personagens se banha! Certas imagens são muito criativas e a estética da produção é muito interessante. A fotografia é bastante realista, mas isso não impediu o diretor de criar enquadramentos ousados.

O elenco é liderado por Saoirse Ronan (a menininha de “Desejo & Repação”) como a filha eternamente adolescente e Gemma Arterton (ex-Bond Girl de “007 – Quantum of Solace”) como a mãe provocante. As duas estão bem em seus respectivos papéis, apesar de Ronan ser um pouco monótona em suas expressões. Arterton, como mãe vampira, é mais feroz e ouriçada. Vira bicho para proteger a cria! O elenco também conta com os coadjuvantes Sam Riley, Caleb Landry Jones e Jonny Lee Miller.

Apesar de “Byzantium” não ser nenhum clássico do gênero, é interessante o suficiente para valer uma investida. E sem dúvida um conto mais tradicional de vampiros vai fazer bem para quem não aguenta mais a versão açucarada que se tornou padrão atual! Curiosidade: Byzantium em português é Bizâncio, cidade grega que posteriormente veio a se tornar Constantinopla, hoje Istambul.

Anúncios
Esse post foi publicado em Filmes, Reviews e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Comente aqui...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s