Revisitando a série Need for Speed em seus 20 anos

Um dos maiores símbolos dos videogames de corrida, Need for Speed está completando 20 anos! E, além disso, está chegando aos cinemas. Eu acho que ninguém nunca pediu por essa adaptação… Need for Speed sempre foi sobre carros e velocidade, mas com você podendo controlar isso – ao invés de apenas assistir. Com um título incrivelmente apropriado, a série nasceu em 1994 no 3DO com o nome completo de “Road & Track presents: The Need for Speed”.

Antes…

...e depois.

…e depois.

Aproveitando o lançamento do filme e a incrível popularidade que a franquia da Electronic Arts veio ganhando ao longo dessas duas décadas, resolvi revisitar esta “necessidade de velocidade” que vem angariando fãs a cada geração de consoles. Segue aí toda a jornada de Need for Speed em sua divertidíssima história de carros e corridas:

“The Need for Speed” (1994)

Lançado originalmente no 3DO em Agosto (e no ano seguinte para PCs), o primeiro Need for Speed vinha com o nome de uma revista! Tradicionais marcas como Ferrari, Porsche e Lamborghini apareciam nas pistas em cenários de campo, praia e cidades. O jogo era simples, com uma jogabilidade ligeiramente realista, mas muito veloz e divertido.

“Need for Speed II” (1997)

Ah, um clássico… A primeira sequência da série não veio com nome de revista, perdeu o “the” de vez e embarcou em uma jogabilidade muito mais arcade! Mais carros, mais pistas e novos modos de jogo. Como eu lembro bem de pilotar uma McLaren nas longas curvas da pista North Country. Também existiam macetes que permitiam você pilotar os carros do tráfego que lhe atrapalhava tanto – como, por exemplo, um ônibus escolar!

“Need for Speed III: Hot Pursuit” (1998) e “Need for Speed: High Stakes” (1999)

A principal inovação do terceiro jogo da série foi o que lhe dava um subtítulo: as perseguições policiais ficaram muito mais elaboradas e divertidas.  Já o quarto (a Electronic Arts percebeu uma estratégia em lançar um episódio por ano) também tinha um modo novo que lhe dava subtítulo, onde você apostava seu carro na corrida. Ambos jogos eram parecidíssimos.

“Need for Speed: Porsche Unleashed” (2000)

A primeira grande evolução da série e também um dos meus favoritos! “Porsche Unleashed” era focado na famosa marca de carros alemã. Apesar de ter apenas Porsches, a variedade era enorme e englobava toda a história da empresa. Além disso o jogo tinha uma jogabilidade bastante realista e seu carro ia se danificando durante as corridas, algo raro na série até hoje. O modo carreira era ótimo e o mais elaborado até então. Simplesmente havia algo de mágico em pilotar um Porsche clássico na Côte D’Azur…

“Need for Speed: Hot Pursuit 2” (2002)

O primeiro jogo da série para o PlayStation 2 foi também o primeiro a ser desenvolvido por um estúdio fora da Electronic Arts, o Black Box (que mais tarde foi comprado pela publisher). Já as versões para PC, GameCube e Xbox foram desenvolvidas pela EA Seattle, que cuidava da série até então. Curiosamente a versão PlayStation 2 foi considerada muito superior! O jogo foi uma boa evolução do primeiro “Hot Pursuit”, com belas pistas e muitos caros exóticos.

“Need for Speed: Underground” (2003) e “Underground 2” (2004)

Na onda do sucesso dos filmes Velozes & Furiosos a Electronic Arts resolveu mudar o estilo da série. Saíram os carros luxuosos e as pistas pelo interior da Europa; entraram carrões tunados e corridas clandestinas por cidades americanas. A mudança foi bem-vinda e ambos Underground fizeram muito sucesso, se tornando os dois jogos mais vendidos da franquia até hoje! “Underground 2” ainda inovou ao trazer um mundo open world onde o jogador dirigia livremente seu carro customizado atrás de novos desafios. Os jogos foram desenvolvidos pela Black Box (já parte da EA), que se tornou a produtora oficial da série.

“Need for Speed: Most Wanted” (2005) e “Need for Speed: Carbon “(2006)

“Most Wanted” foi uma evolução de “Underground 2”, com sua estrutura open world e carros tunados. Mas o modo carreira foi melhorado, onde você devia derrotar uma lista de rivais específicos e suas listas de desafios. O jogo também trouxe de volta os exóticos de luxo como BMW, Lamborghini e Porsche. Foi o primeiro da série a sair para a geração HD, recebendo uma versão Xbox 360. Já “Carbon” apenas repetiu a receita, mostrando a facilidade da franquia em se reinventar para depois se repetir.

“Need for Speed: ProStreet” (2007) e “Need for Speed: Undercover” (2008)

“ProStreet” trouxe a série de volta ao realismo de “Porsche Unleashed”. Mas não fez muito sucesso ao abandonar uma carreira open world para o das corridas oficiais, dentro de pistas fechadas e sem graça. Já “Undercover” voltou atrás para o estilo de underground, adicionando um modo história com história (!) estrelado pela atriz Maggie Q. Mas fez menos sucesso ainda, mostrando sinais de cansaço do estilo…

“Need for Speed: Shift” e “Need for Speed: Nitro” (2009)

Não obstante em lançar um jogo da série por ano, a Electronic Arts resolveu lançar dois em 2009! “Need for Speed: Shift” foi desenvolvido pela Slightly Mad Studios para os consoles HD e PC. Seguia o estilo realista de “ProStreet”, mas dessa vez deu certo e recebeu muitos elogios! Já “Need for Speed: Nitro” foi desenvolvido pela EA Montreal para Wii e DS (o único da série exclusivo para consoles Nintendo) e tinha um estilo bem arcade, veloz e com carros desproporcionais. O jogo era muito divertido e permitia você customizar a pintura do seu veículo, desenhando o que quisesse na lataria.

“Need for Speed: Hot Pursuit” (2010)

Primeiro jogo da série feito pela Criterion Games, que ganhou fama com a franquia Burnout. Este reboot de “Hot Pursuit” não tinha carros tunados, pilotagem realista ou gráficos coloridos… Vai ver a Electronic Arts cansou de variar e voltou ao tradicional. Deu sorte, pois o jogo agradou e vendeu muito bem! Pistas exóticas, carros luxuosos, é ou não é isso que a gente imagina quando pensa em Need for Speed?

“Shift 2: Unleashed” e “Need for Speed: The Run” (2011)

Alguns meses depois e já estava saindo “Shift 2”, que não levava o título Need for Speed por algum motivo… Era basicamente a mesma coisa do “Shift” anterior e foi um fiasco. Já “The Run” trazia de volta a Black Box na série, em um jogo bastante linear onde você devia atravessar os Estados Unidos em pistas cheias de evento de ação. Os atores Sean Faris e Christina Hendricks atuaram no modo história.

“Need for Speed: Most Wanted” (2012) e “Need for Speed: Rivals” (2013)

De volta para a Criterion Games, com um novo reboot. Dessa vez de “Most Wanted”, trazendo o retorno do open world em um modo história com carros luxuosos e objetivos sandbox. O jogo foi muito comparado a “Burnout Paradise” por conta disso. Já “Rivals” foi desenvolvido pela Ghost Games, que pouco mudou a fórmula estabelecida pela Criterion. Este é o mais recente jogo da franquia e o primeiro para a nova geração, lançado também para PlayStation 4 e Xbox One.

Anúncios
Esse post foi publicado em Conversas, Saudosismos e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Comente aqui...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s